Angra inicia vacinação infantil contra a covid-19

Crianças, de 5 a 11 anos, com deficiência permanente ou comorbidade já estão sendo imunizadas nas ESFs

Quarta-Feira, 19/01/2022 | Secretaria Executiva de Comunicação .

Angra dos Reis iniciou, nesta quarta-feira (19), a vacinação das crianças de 5 a 11 anos contra a covid-19. Nesta primeira etapa, estão sendo imunizadas aquelas com comorbidades e deficiência permanente.

A moradora do Balneário, Suellen Moura de Souza, não perdeu tempo e logo pela manhã foi levar o filho, Samuel Carlos Moura de Jesus, de 7 anos, autista, para ser vacinado na ESF do bairro.

- Vacinas salvam e o SUS nunca se engana. Eu estava muito ansiosa para ver o Miguel vacinado, esse momento é um orgulho para mim como mãe – frisou Suellen.

Outra mãe que compareceu ao posto de saúde hoje foi Daniele de Aquino Gatto. Ela levou a filha, também autista, Isabelle Gatto Sur, de 8 anos.

- A minha filha é muito agitada, não usa máscara. Eu não via a hora dela ser vacinada. Agora vou me sentir um pouco mais segura em relação a essa doença – frisou.

O secretário de Saúde acompanhou o início da vacinação na ESF Balneário e deu alguns detalhes sobre esta nova etapa da campanha contra a covid-19.

- Neste primeiro momento, temos o objetivo de vacinar 1.500 crianças com comorbidades e deficiências permanentes, em todo o município. A imunização vai acontecer nas ESFs, para que as crianças sejam vacinadas com mais conforto, perto de suas casas. É necessário que o responsável esteja acompanhando – frisou o secretário.

A orientação da Secretaria de Saúde é que a vacinação seja agendada, presencialmente ou por telefone. A lista com todos os endereços e telefones das unidades pode ser acessada no site www.angra.rj.gov.br/unidadesdesaude.

Para a vacinação é necessário apresentar os seguintes documentos dos pequenos: CPF ou cartão do SUS, caderneta de vacinação e laudo médico comprovando a doença. Já os pais ou responsáveis devem levar documento que comprove parentesco com a criança e comprovante de residência.

As comorbidades que garantem acesso prioritário das crianças à imunização são: qualquer deficiência permanente e/ou neoplasia; imunodeficiência; doenças neurológicas; doenças hepáticas; doenças pulmonares; doenças cardíacas, diabetes, obesidade, entre outras.