Prefeitura e Estado assinam convênio de R$ 17 milhões

Os recursos serão aplicados na saúde, na construção de espaços a serem ocupados pelo Centro Oncológico e pelo Hospital do Olho

Sexta-Feira, 17/01/2020 | Superintendência de Comunicação .

O ano está começando com ótimas notícias para a saúde de Angra dos Reis. Um convênio assinado, nessa quinta-feira (16), entre a prefeitura e o Governo do Estado vai garantir mais de R$ 17 milhões para a construção de espaços que vão abrigar seis projetos, entre eles a Unidade de Alta Complexidade em Oncologia, que garantirão um atendimento de excelência e uma melhor qualidade de vida aos moradores de Angra.
- Sabendo da importância de Angra dos Reis, da necessidade da população e até mesmo pela questão turística, o governador sentou comigo e pediu que eu autorizasse todos os projetos. A gente olha pra frente com otimismo, com esperança e com o povo recebendo aquilo que precisa e merece – afirmou o secretário de estado de Saúde.
Conforme as obras forem evoluindo, o Governo do Estado informou já ter, pré-autorizado, outros R$ 20 milhões a serem investidos em compra de equipamentos.
- No total, o Governo do Estado vai investir R$ 37 milhões em Angra para que a prefeitura possa fazer a modernização, ampliação da rede, toda a parte de equipamentos adequado – ressaltou o secretário.
O secretário municipal de Saúde destacou a satisfação por essa parceria com o Governo do Estado.
- Esse é o momento em que o Governo do Estado está buscando aquela parceria com os municípios, saindo do núcleo central e buscando as participações junto às prefeituras. Isso é muito bem-vindo e nós agradecemos essa oportunidade. Em breve, vamos colher os frutos desses investimentos – disse.
O secretário-executivo de Atenção Oncológica também ressaltou a enorme satisfação ao ver todos os projetos apresentados pelo município sendo aprovados, principalmente a Unidade de Alta Complexidade em Oncologia.
- O serviço oncológico será uma referência muito grande para a Baía da Ilha Grande. Agora em 2020 vamos iniciar dentro do HMJ o serviço de quimioterapia e de cirurgias oncológicas. Com o convênio assinado hoje já daremos início ao processo licitatório de construção da sede do serviço, que, depois de construída, passará a oferecer também radioterapia. Será um serviço humanizado, do jeito que o prefeito determina, com um atendimento em que a população se sentirá acolhida pelo SUS – informou.
O secretário hospitalar que trabalha há 11 anos na área da saúde, sendo três deles em Angra, na direção do HMJ, parabenizou o Estado por investir no interior.
- Pela primeira vez, eu vejo, de fato, o Estado investindo no interior. Essa ausência sacrificava muito alguns municípios. Em 2018, foram investidos R$ 315 milhões na saúde de Angra, sendo R$ 215 milhões só de recursos próprios da Prefeitura e os outros R$ 100 milhões do SUS. O Estado pouco contribuiu – informou.
O prefeito fez questão de agradecer ao governador do Estado pelo o apoio a Angra dos Reis.
- Nós acabamos de assinar R$ 17 milhões em recursos para a saúde de Angra e o secretário de Estado de Saúde saiu de seu gabinete e veio aqui trabalhar conosco. Agradeço a toda equipe e ao governador por estar enxertando esses recursos diretamente na saúde de Angra. Dessa maneira, poderemos oferecer um melhor atendimento aos nossos munícipes, principalmente para aqueles que não possuem plano de saúde – fez questão de frisar o prefeito.

OBRAS A SEREM CUSTEADAS PELO ESTADO

A principal ação será a construção da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia, que vai funcionar em um bloco anexo de dois pavimentos a ser construído junto ao Hospital Municipal da Japuíba e vai oferecer serviços de quimioterapia, radioterapia e cirurgias oncológicas. Vai atender pacientes de Angra, Paraty, Mangaratiba e Itaguaí. O custo dessa obra será de cerca de R$ 3 milhões. Na fase final de construção, o Estado destinará outros R$ 9 milhões para aquisição de todos os equipamentos, entre eles o acelerador linear, responsável pela radioterapia.
O HMJ vai ganhar outro anexo para abrigar a sede do almoxarifado e dos setores administrativos, liberando espaços internos para a implantação de novos leitos de UTI e enfermarias, também contemplados no convênio assinado com o Estado.
No terreno em frente ao HMJ será construído um novo prédio de três andares. Em cada andar ficará um serviço. No primeiro, estará localizada a nova sede do Hemonúcleo da Costa Verde, que será ampliado e terá duas salas de triagem. No segundo andar, funcionará o Hospital do Olho, que centralizará os serviços na área de oftalmologia, com ambulatórios e recursos de oftalmologia cirúrgica. No terceiro piso, será criado um Centro de Estudos, onde poderão ser realizados cursos, palestras e formações para alunos de medicina e profissionais do setor. A estimativa é que seja necessário pouco mais de R$ 2,5 milhões para a construção do prédio.
Outro projeto é o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas (CAPS ad 3). De acordo com o planejamento da Secretaria de Saúde, ele deve ser erguido em um terreno próximo ao HMJ, funcionará 24 horas por dia e terá leitos e uma equipe de saúde. Vai acolher usuários de drogas e álcool, dando um suporte ao HMJ. A previsão é de que sejam gastos pouco mais de R$ 2 milhões.
O Estado também vai arcar com as despesas da nova sede do Samu, a ser construída na Japuíba, em um terreno próximo ao HMJ e UPA e também às margens da rodovia Rio-Santos, o que facilitará o deslocamento das equipes quando requisitadas. O custo previsto é de R$ 1.442 milhões.
Por fim, vem o chamado “Postão de Mambucaba”. A princípio, as obras ficariam a cargo da Eletronuclear, mas para acelerar a reforma, a melhoria acabou entrando no pacote a ser realizado pelo Estado. A unidade de saúde, que é composta pelo Serviço de Pronto Atendimento (SPA), Centro de Especialidades Médicas (CEM) e ainda abriga algumas equipes de Saúde da Família, será ampliada e totalmente reformada. Esse será o projeto mais caro de todos e custará R$ 5.261 milhões.

Secretarias relacionadas: Saúde