Uso de máscaras é obrigatório em ônibus municipais

Passageiros e trabalhadores da concessionária que não utilizarem o item serão impedidos de viajar

Sexta-Feira, 01/05/2020 | Superintendência de Comunicação .

Na manhã desta sexta-feira, 1º de maio, às 10h, representantes da Prefeitura de Angra e da Viação Senhor do Bonfim participaram de uma reunião por videoconferência para reforçar pontos relacionados aos decretos municipais de enfrentamento à pandemia, principalmente quanto ao uso obrigatório das máscaras pelos passageiros e funcionários da empresa.

O uso das máscaras já está sendo efetuado pelos profissionais da Bonfim. Quanto à utilização dos utensílios pelos passageiros, a determinação será cobrada ainda mais pelos membros da concessionária.

– Ainda há alguma resistência dos passageiros. Mesmo assim, a partir de hoje serão colocadas informações na entrada de todos os coletivos, comunicando a proibição do embarque sem o uso das máscaras – conta o superintendente de Transporte e Trânsito, que participou da reunião com o gerente da Bonfim.

Também foi discutido durante o encontro a manutenção do decreto de lotação, que segue mantido e com fiscalização constante – passageiros só podem viajar sentados –, e os ajustes referentes aos horários oferecidos pela empresa, que serão feitos sempre de maneira gradativa, para melhor atender à população.

De acordo com o artigo 3º do decreto nº 11.625, de 21 de abril de 2020, ficou estipulado como obrigatório em Angra dos Reis o uso de máscara pela população em geral, nos espaços abertos ao público ou de uso coletivo, inclusive os comerciais. São considerados também espaços de uso coletivo os veículos de transporte público coletivo, de táxi e transporte remunerado privado individual de passageiros.

A Prefeitura de Angra tem feito a distribuição de máscaras à população, assim como também vem apoiando a compra dos utensílios que têm sido produzidos pelas artesãs e artesãos da cidade. Aqueles que desrespeitarem as medidas relacionadas ao uso das máscaras ou quaisquer outras referentes aos decretos irão responder às sanções previstas.