Idosos devem aguardar a vacina contra a gripe em casa

A vacinação está suspensa nas unidades de saúde e os profissionais irão até as residências para imunizar este público

Segunda-Feira, 23/03/2020 | Superintendência de Comunicação .

A Prefeitura de Angra, por meio da Secretaria de Saúde /Departamento de Saúde Coletiva, mudou a estratégia para vacinação dos idosos contra a gripe e suspendeu a vacinação nas unidades de saúde. A nova orientação é para que este primeiro público-alvo da campanha nacional, organizada pelo Ministério da Saúde, aguarde em suas residências a visita dos profissionais da saúde, que vão realizar a imunização. A ação vai começar nos próximos dias.

- Cada módulo de Estratégia de Saúde da Família tem a sua área de abrangência e o cadastro dos seus idosos. Os profissionais de saúde vão entrar em contato com este público, indo até as casas ou ligando, para avisar quando irá aplicar a vacina. Pedimos a paciência das pessoas porque este processo vai ser um pouco mais demorado, mas é necessário para evitar as aglomerações neste momento – explica a diretora do Departamento de Saúde Coletiva.

A medida foi necessária porque, mesmo com a orientação da Saúde para que os idosos agendassem a vacinação nas unidades, foram relatadas aglomerações de pessoas em busca da imunização, na manhã de hoje (23).

Vale ressaltar que a decisão do Ministério da Saúde de priorizar a imunização dos idosos é uma medida para resguardar esse público, já que a vacina é uma proteção aos quadros de doenças respiratórias comuns. Além disso, é uma forma de auxiliar os profissionais de saúde a descartarem as influenzas na triagem e acelerarem o diagnóstico para a Covid 19.

Na segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação, que começa dia 16 de abril, entram os professores e profissionais das forças de segurança e salvamento, além dos doentes crônicos. A partir de 9 de maio, Dia D de vacinação, serão imunizadas as crianças de seis meses a menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), pessoas com mais de 55 anos, gestantes, mães no pós-parto (até 45 dias após o parto), população indígena e portadores de condições especiais. A campanha seguirá até o dia 23 de maio.

Secretarias relacionadas: Saúde