Angra inaugura Espaço Cultural Verá Mirim

O local é destinado à divulgação e comercialização do artesanato produzido pela comunidade indígena

Terça-Feira, 04/02/2020 | Superintendência de Comunicação .

A comunidade indígena da Aldeia Sapukai, localizada no Bracuí, ganhou nesta terça-feira (4) um local especial, no Centro de Angra, para divulgação de sua cultura e comercialização do artesanato que produz. O Espaço Cultural Verá Mirim, que leva o nome do saudoso Cacique João, falecido há quase quatro anos, pode ser visitado todos os dias da semana, das 9h às 16h, ao lado da Estação Santa Luzia. Lá, moradores e turistas, vão poder conferir e adquirir arcos e flechas, colares e pulseiras, sarabatanas e animais esculpidos em madeira, dentre outras peças.
- Vendíamos nossos produtos nas portas dos bancos e, agora, temos um espaço para mostrar nossa cultura. Aqui, os moradores e turistas, vão poder comprar nossos artesanatos e conhecer um pouco da nossa história. Nós somos povo brasileiro e temos nossa própria cultura, língua e religião. Só podemos agradecer a Prefeitura por toda a atenção que tem nos dado – afirmou o Cacique Domingos Benite.
O Espaço Verá Mirim foi aberto graças a uma parceria da Prefeitura de Angra, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Promoção da Cidadania, com o apoio da TurisAngra e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, com a Associação Indígena do Bracuí (ACIBRA).
- Hoje é um dia muito especial. Com este simples gesto, estamos fomentando a cultura da população indígena existente em nossa cidade. Independente de gestão ou de política, esta comunidade tem em mim uma amiga. Ainda teremos muitas novidades neste espaço – garantiu a secretária de Desenvolvimento Social e Promoção da Cidadania, que foi presenteada pelo Cacique Domingos com um colar e um cesto.
A turista do Acre, Natália dos Santos, que passava pela Estação Santa Luzia, ficou surpresa ao tomar conhecimento de que há em Angra uma aldeia guarani com quase 500 pessoas. Ela disse ter ficado encantada com o que viu.
- Fiquei muito feliz de encontrar aqui este espaço, com peças tão bonitas e criativas produzidas pela população indígena, que está tendo sua cultura valorizada – destacou a turista.
Depois da abertura do espaço, ocorreram apresentações do coral infantil e de grupos de dança da Aldeia Sapukai. Estas mesmas manifestações vão acontecer em dias de maior circulação de turistas no Centro de Angra e servirão para divulgar o tesouro cultural existente em Angra dos Reis.