Audiência Pública sobre Plano de Manejo do Parque da Cidade

O debate, aberto ao público, acontece na próxima sexta-feira (13), às 10h, no Plenário da Câmara Municipal

Terça-Feira, 10/12/2019 | Superintendência de Comunicação .

A Prefeitura de Angra, por meio do Instituto Municipal do Ambiente de Angra dos Reis (Imaar) realiza na próxima sexta-feira, dia 13, às 10h, no Plenário da Câmara Municipal, uma audiência pública referente ao Plano de Manejo do Parque Natural Municipal da Mata Atlântica (Parque da Cidade) e a sua delimitação. É a oportunidade para que o poder público e a população possam debater as propostas sobre a nova unidade de conservação, localizada na área central do município. A participação dos munícipes no debate é muito importante.
Além da audiência, está sendo disponibilizada uma consulta pública, que ficará disponível também até sexta-feira (13), no site oficial do Parque da Cidade (http://parquedacidade.angra.rj.gov.br) ou no site da prefeitura (www.angra.rj.gov.br), onde também há material para consulta. Todas as manifestações e sugestões dos interessados serão recebidas no período da consulta pública pelo formulário online disponibilizado no site. Elas também poderão ser endereçadas ao Imaar, localizado na Rua do Comércio, 17 - Centro - Angra dos Reis - RJ - CEP 23.900-560, assim como entregues na audiência pública, por escrito.
O Parque da Cidade foi criado através de um decreto, em 2017, e o Plano de Manejo é o documento que vai definir o seu funcionamento. A unidade de conservação envolve a parte alta dos morros da Carioca, Santo Antônio, Caixa D’Água, Carmo, Peres, Glória, e da Cruz; seguindo também por cima do Encruzo, Enseada, Retiro, Ribeira, Vila Velha, Praia Grande, Bonfim e Colégio Naval.
Ao longo da elaboração do plano foram realizadas reuniões, oficinas participativas, além de uma pesquisa, na rede social Colab, para avaliar a percepção pública sobre a criação e implantação do Parque. As questões abordaram sua importância, ações de conservação e preservação, atrativos turísticos, potencialidades e fragilidades, entre outros assuntos. Essas ações são ferramentas da gestão municipal para buscar a participação popular no Plano de Manejo.