Audiência Pública sobre o Parque da Cidade

Será discutido o Plano de Manejo, que também ficará disponível no site da unidade de conservação

Quinta-Feira, 14/11/2019 | Superintendência de Comunicação .

A Prefeitura de Angra, por meio do Instituto Municipal do Ambiente de Angra dos Reis (Imaar) realizará no dia 13 de dezembro, às 10h, na Câmara Municipal, uma audiência pública referente ao Plano de Manejo do Parque Natural Municipal da Mata Atlântica (Parque da Cidade) e a sua delimitação. É a oportunidade para que poder público e população possam debater as propostas sobre a nova unidade de conservação, localizada na área central do município. A participação dos munícipes no debate é muito importante.

Além da audiência, está sendo disponibilizada uma consulta pública, que ficará disponível até o dia 13 de dezembro, no site oficial do Parque da Cidade (http://parquedacidade.angra.rj.gov.br), que pode ser acessado também por link no site da prefeitura (www.angra.rj.gov.br), onde também há material para consulta.

Todas as manifestações e sugestões dos interessados serão recebidas no período da consulta pública pelo formulário online disponibilizado no site. Elas também poderão ser endereçadas ao Imaar, localizado na Rua do Comércio, 17 - Centro - Angra dos Reis - RJ - CEP 23.900-560, assim como entregues na audiência pública do dia 13, por escrito.

Ao longo da elaboração do plano foram realizadas reuniões, oficinas participativas, além de uma pesquisa, na rede social Colab, para avaliar a percepção pública sobre a criação e implantação do Parque. As questões abordaram sua importância, ações de conservação e preservação, atrativos turísticos, potencialidades e fragilidades, entre outros assuntos. Essas ações são ferramentas da gestão municipal para buscar a participação popular no Plano de Manejo.

O Parque da Cidade foi criado através de um decreto, em 2017, e o Plano de Manejo é o documento que vai definir o seu funcionamento. A unidade de conservação envolve a parte alta dos morros da Carioca, Santo Antônio, Caixa D’Água, Carmo, Peres, Glória, e da Cruz; seguindo também por cima do Encruzo, Enseada, Retiro, Ribeira, Vila Velha, Praia Grande, Bonfim e Colégio Naval. Como explica o Superintendente de Meio Ambiente:

– O parque abrange as terras altas de toda a elevação que domina o Centro de Angra dos Reis com seu limite correndo sobre os morros da região central, logo após as ocupações urbanas – disse ele. Ou seja, o parque ocupa o topo do morro do Centro de Angra. Com mais de mil hectares, será uma unidade de conservação de proteção integral, estabelecida pelo Sistema Nacional de Unidades de Conservação (Snuc).

Os objetivos que levaram a gestão atual da Prefeitura de Angra a decretar, no fim de 2017, a criação do parque, se agrupam em três eixos centrais: preservação ambiental, controle do uso e ocupação do solo e a potencialização do turismo ambiental e ecológico. Ainda sobre o turismo, o Parque da Cidade busca atrair mais turistas para a área central do município, já que o projeto prevê a criação de trilhas, áreas de escaladas, pontos de voo livre, mirante, teleférico, estrutura administrativa e até alguns empreendimentos, como lanchonete/restaurante, por exemplo. Por isso, o parque é visto como um futuro gerador de emprego e renda no setor, integrado com a conservação da biodiversidade.