Prefeitura e Polícia Civil em parceria no combate às drogas

Projeto Papo de Responsa busca conscientizar crianças e adolescentes e aposta no diálogo

Sexta-Feira, 02/08/2019 | Superintendência de Comunicação .

A Secretaria de Desenvolvimento Social e Promoção da Cidadania da Prefeitura de Angra realizou na quinta-feira, dia 1º de agosto, uma palestra para discutir estratégias contra as drogas voltadas para o público jovem. O encontro, feito em parceria com a Polícia Civil, reuniu no auditório da universidade Estácio, em Jacuecanga, profissionais que atuam nas áreas de esporte e assistência social, em contato direto com crianças e adolescentes. A idéia é que esses profissionais se tornem multiplicadores de propostas de conscientização no combate às drogas.

Policiais representantes do Papo Responsa, um projeto de conscientização antidrogas da Polícia Civil, vieram do Rio a Angra para palestrar. Eles apresentaram a proposta do projeto e como ele funciona. O objetivo é a construção de um diálogo entre os profissionais multiplicadores, as crianças, adolescentes e seus familiares. O projeto envolve questões sobre relacionamento humano, cuidado, cultura de paz, respeito às diferenças, exercício da cidadania, escolhas e responsabilidades, ética, e, principalmente, o foco na prevenção ao uso de drogas.

– O Papo Responsa é utilizado pela Polícia Civil com o entendimento de que é preciso uma ferramenta além do confronto policial. As principais ferramentas que nós policiais usamos são as algemas e o revolver, que na maioria das vezes não resolvem. Com o Papo Responsa, a nova ferramenta passou a ser o diálogo – disse o policial palestrante, explicando o processo de idealização do projeto, que existe na Policia Civil do RJ desde 2003.

A parceria foi pensada a partir de um trabalho organizado pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Promoção da Cidadania, por meio do qual foi criado um grupo intersetorial de políticas antidrogas para desenvolver ações e estratégias de promoção da conscientização e da prevenção.

A próxima etapa será o desenvolvimento de trabalhos práticos, em encontros com crianças, adolescentes, jovens e familiares. A secretaria realiza reuniões mensais com o grupo intersetorial para pensar nas possibilidades de prevenção, atenção e cuidado.