Angra e Paraty perto de se tornarem Patrimônio Mundial

O prefeito viajará junto com uma delegação brasileira para acompanhar a reunião da Unesco, no Azerbaijão, de onde sairá o resultado

Quinta-Feira, 27/06/2019 | Superintendência de Comunicação .

Falta pouco para sair a decisão da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) sobre a candidatura de Angra dos Reis (Ilha Grande) e Paraty para Patrimônio Mundial Misto. O resultado será divulgado durante a reunião do Comitê da Unesco, que vai acontecer de 30 de junho a 10 de julho, em Baku, no Azerbaijão.
O prefeito de Angra, o secretário de Desenvolvimento Econômico, e o presidente do Instituto Municipal do Ambiente de Angra dos Reis (Imaar), estarão acompanhando tudo de perto. Eles viajarão, junto com uma delegação brasileira, que será composta por representantes do Governo Federal, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e da Prefeitura de Paraty.
A comitiva estará presente para responder a quaisquer questionamentos que possam ser feitos sobre o projeto e também para demonstrar a importância da conquista desse título para o Brasil, mais especificamente para as cidades de Angra e Paraty.
- A conquista desse título projetará ainda mais a baía da Ilha Grande como destino turístico, atraindo cada vez mais turistas. A cidade será divulgada no mundo inteiro. Parabenizo a equipe da Prefeitura que fez um trabalho lindo para que Angra fosse indicada e agora estamos na torcida por uma vitória – destacou o prefeito de Angra.
Serão analisados 28 pedidos de reconhecimento de sítios mundiais, sendo dois sítios mistos, ou seja, locais reconhecidos ao mesmo tempo como Patrimônio Cultural e Natural Mundial. Além de Paraty e Ilha Grande, que podem se tornar o primeiro sítio misto brasileiro, o outro candidato é a região do Lago de Ocrida, na Albânia-Macedônia. De 1.092 bens inscritos da Lista do Patrimônio Mundial, apenas 38 são mistos.
- A região já atrai muitos visitantes, por sua natureza exuberante e efervescência cultural. Agora estaremos sob os holofotes do turismo mundial. O Brasil terá 22 bens brasileiros reconhecidos como Patrimônio Mundial. É um país continental com uma grandiosa diversidade cultural, o que demonstra a importância e potência desse território para compreensão da trajetória humana no planeta Terra - celebra a presidente do Iphan.
Se aprovado, a candidatura de Angra dos Reis (Ilha Grande) e Paraty será o 22º bem brasileiro a levar o título da Unesco. Atualmente, há 14 sítios inscritos como Patrimônio Mundial Cultural e sete bens do Patrimônio Mundial Natural, no Brasil.
O sítio misto abrange um território de quase 149 mil hectares, em que o Centro Histórico se cerca de quatro áreas de conservação ambiental. Ali estão o Parque Nacional da Serra da Bocaina; o Parque Estadual da Ilha Grande; a Reserva Biológica Estadual da Praia do Sul; e a Área de Proteção Ambiental de Cairuçu. Desde a Baía da Ilha Grande, são 187 ilhas, muitas cobertas de vegetação primária.

Candidatura em parceria

A candidatura de Paraty e Ilha Grande é fruto de parceria entre o Ministério do Meio Ambiente, Iphan, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Prefeituras de Paraty, de Angra dos Reis e Instituto Estadual do Ambiente (Inea).
Junto ao Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac), Instituto Histórico e Artístico de Paraty (IHAP), Fórum das Comunidades Tradicionais e Observatório de Territórios Sustentáveis e Saudáveis da Bocaina, os órgãos responsáveis estão construindo, em conjunto, um plano de gestão compartilhada do sítio, envolvendo diversas representações locais.
O Brasil é membro do Comitê do Patrimônio Mundial e tem direito a voto. Participam também Angola, Austrália, Azerbaijão, Bahrein, Bósnia e Herzegovina, Burkina Faso, China, Cuba, Guatemala, Hungria, Indonésia, Kuwait, Quirguistão, Noruega, Saint Kitts e Nevis, Espanha, Tunísia, Uganda, Tanzânia e Zimbabwe.