Assinado o convênio que vai garantir saneamento da Monsuaba

Sonho antigo dos moradores está perto de se tornar realidade

Sexta-Feira, 14/06/2019 | Superintendência de Comunicação .

O auditório do Centro de Estudos Ambientais (CEA), na Praia da Chácara, ficou pequeno para a grande quantidade de moradores da Monsuaba que foram testemunhar a assinatura do convênio que vai garantir o tratamento de esgoto do bairro, na tarde de quinta-feira (14),
Atualmente, na Monsuaba, existem 2.875 ligações ativas de esgotos. A estação de tratamento (ETE) está inoperante, uma elevatória está construída e há uma rede tronco na orla. A praia do bairro está poluída e há muitos anos não é possível tomar banho de mar por lá. Com o valor de R$ 8.234.457,35, obtidos pela Prefeitura, por meio de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC), após a Transpetro ter sido multada pelo Inea por derramamento de óleo no mar de Angra, essa história vai mudar.
Será implantada uma rede coletora de esgoto de 17 mil metros. A estação de tratamento de esgoto já existente será recuperada e um novo módulo será construído. Além disso, três novas elevatórias serão construídas. Essa obra vai atender a 8.500 habitantes.
- Esse novo modelo de ETE será construído tendo uma projeção de 8.500 habitantes, o que nos dá uma certa folga. Se houver aumento excessivo da população, não tem problema, pois novos módulos poderão ser adicionados de maneira que a gente tenha tratamento efetivo – explicou o presidente do Serviço Autônomo de Captação de Água e Tratamento de Esgoto (Saae), que vai trabalhar agora na atualização das planilhas para que o edital de licitação da obra seja lançado.
O prefeito de Angra se disse orgulhoso por ter “brigado” por este momento.
- Queriam aplicar todo o dinheiro da multa em projetos de ONGs, que também são importantes, mas eu convenci as autoridades de que o terminal da Transpetro fica perto da Monsuaba e a obra de esgoto lá beneficiaria o meio ambiente e os moradores de Angra – destacou o prefeito.
A secretária de Estado do Ambiente e Sustentabilidade ressaltou que é necessário comprometimento e coragem de um governo para investir em saneamento básico. Frisou ainda que, além da extrema importância para a recuperação ambiental, a ação impacta na qualidade de vida das pessoas.
- O passivo que encontramos em todo o país mostra como essa questão vem sendo negligenciada por governos anteriores. Identificar isso como pauta prioritária, batalhar por isso, é um mérito do prefeito que junto com a gente viabilizou esse convênio – frisou a secretária, que entregou o Cheque Verde ao prefeito.
O presidente do Inea lembrou das inúmeras visitas do prefeito ao órgão estadual com o objetivo de que o convênio que já estava vencido fosse renovado.
- Normalmente, nenhum prefeito se preocupa com obras de saneamento porque ela só traz transtornos e depois fica enterrada e ninguém sabe quem fez. Temos que ressaltar essa preocupação com o que é importante, necessário. Sem saneamento, a saúde é prejudicada, a população é prejudicada e, principalmente, a beleza natural que é a praia de Monsuaba é prejudicada – afirmou o presidente do Inea.
Os moradores da Monsuaba comemoraram a assinatura do convênio e não vêem a hora da obra começar.
- Para nós vai ser um dia de festa quando começar a obra. Estamos todos entusiasmados e nossa intenção é somar no que for possível para termos a praia que tínhamos antes. Antigamente, na época do Carnaval, a gente não podia nem andar na areia da praia de tantas barracas. Essa obra não será apenas de saneamento, vai ajudar também em outras áreas, como o comércio, por exemplo. Estou muito otimista - comemorou o presidente da Associação Comunitária de Monsuaba (Acomm).
A cerimônia de assinatura do convênio contou também com a presença do vice-prefeito de Angra; do subsecretário de Saneamento Ambiental de Estado do Ambiente e Sustentabilidade; de diversos secretários municipais e de cinco vereadores, incluindo o líder do governo na Câmara.
Ao fim do evento, o prefeito convidou a todos para visitarem a Estação de Tratamento de Esgoto, localizada na Praia da Chácara, que será inaugurada no próximo mês e vai cuidar do esgoto do Balneário e Parque das Palmeiras.

Urbanização

A Prefeitura de Angra, por meio da Superintendência de Urbanização, Parques e Jardins, também apresentou um projeto paisagístico para ser implantado na orla de Monsuaba. Serão 465 metros de urbanização.
Ao longo de toda a orla será construída uma ciclovia, as calçadas serão de pedra São Thomé e quatro novos quiosques, com banheiro, serão erguidos. A área terá ainda playground com acessibilidade, academia ao ar livre e jardins. Também haverá melhoria nas calçadas e nos abrigos de ônibus próximos à orla.
- É um projeto simples, mas que será de grande valor para a população da Monsuaba. Já foi encaminhado ao Inea e o material técnico por parte da Prefeitura está concluído, está no ponto de licitar, depende agora da licença ambiental – explicou a superintendente de Urbanização, Parques e Jardins.

Recuperação viária

O secretário-executivo de Obras também apresentou dados do Programa de Recuperação Viária do Município, que inclui Monsuaba, onde o principal projeto é a recuperação da Estrada da Ponta Leste.
Serão recuperados nove quilômetros da Estrada da Ponta Leste, incluindo drenagem, recapeamento e iluminação pública. O valor de toda a obra será de R$ 5.291.807,17 , sendo R$ 4.220.000,00 vindos da Transpetro e o restante será de responsabilidade do município.
Monsuaba terá ainda 15 ruas recapeadas e outras três receberão obras de drenagem e pavimentação (ruas Francisco Alvin, Canal e Campo).
- Vamos tratar o bairro como um todo, não será apenas a obra de saneamento, estamos tendo um carinho com o bairro todo – frisou o secretário-executivo de Obras.