13ª edição da FITA termina sob aplausos

Durante 17 dias, 51 espetáculos movimentaram a vida cultural de Angra dos Reis e região

Segunda-Feira, 01/10/2018 | Superintendência de Comunicação .

Foi com casa cheia e muitos aplausos que a 13º edição da Festa Internacional de Teatro de Angra dos Reis, a FITA, chegou ao fim na noite deste domingo (30). Durante 17 dias, 51 espetáculos, reunidos na Mostra de Sucessos, Sessão Cult, Sessão Comédia, Fitinha e Mostra Paralela, movimentou a vida cultural da cidade e de toda a região, com o apoio da Prefeitura de Angra, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Secretaria Executiva de Cultura e Patrimônio), da TurisAngra e diversos outros setores.
Segundo o curador da FITA, o público amante de teatro pode ficar tranquilo, pois os trabalhos para a realização da 14ª edição do evento já começaram.
- Foi um ano de muito trabalho. Estou feliz porque deu tudo certo e a plateia compareceu. Contamos com espetáculos lindíssimos. Todos os atores que vieram para a FITA ficaram honrados de estar ali, no meio de tanto espetáculos bons, fazendo parte de um deles. Foi uma felicidade a gente ter feito esta 13ª edição e vamos começar a trabalhar para a 14ª, é claro! – declarou o jornalista, que também é secretário de Desenvolvimento Econômico do município, agradecendo a todos os patrocinadores, apoiadores e ao público.
Neste ano, os atores homenageados pela Festa Internacional de Teatro de Angra dos Reis foram Regina Duarte, que estrelou em “Volta ao Lar” e “O Leão no Inverno”, e Tonico Pereira, que esteve em um dos espetáculos de encerramento da 13ª edição, com “O Julgamento de Sócrates”, uma livre adaptação de Apologia de Sócrates, de Platão, realizada pelo premiado autor Ivan Fernandes, em forma de monólogo, para comemorar os 50 anos de carreira do ator.
- Fazer parte de um evento de teatro que reúne milhares de pessoas a cada edição é um milagre. Estou me sentindo jogando na seleção brasileira, com o Maracanã lotado. Se bem que eu não gostaria de estar na seleção brasileira. Mas, numa seleção tipo a FITA eu fico muito feliz de participar – destacou o ator, no auge dos seus 70 anos de muito bom humor.
Um dos grandes entusiastas da FITA é o prefeito, que não economiza palavras para elogiar o evento.
- Me lembro quando, em 2004, quando eu era prefeito da cidade, o jornalista João Carlos Rabello me apresentou a ideia de realizar em Angra uma Festa Internacional de Teatro. Na época, muitos acharam uma loucura, mas ele me convenceu de que era possível tornar este sonho uma realidade. E hoje, o sucesso da FITA comprova que temos que acreditar em nossos sonhos, em nossos projetos de vida. A 13º edição do evento não recebeu um centavo do dinheiro público, mas a Prefeitura deu todo o apoio que podia para a realização deste evento, que já faz parte da vida cultural da nossa cidade – comentou o prefeito.
A parceria entre a Prefeitura de Angra e a FITA possibilitou que mais de cinco mil alunos da rede municipal de educação pudessem assistir a espetáculos da Fitinha, com ingresso e transporte totalmente gratuitos, no Teatro Municipal e na Tenda na Praia do Anil.
Os alunos da Escola Municipal de Educação de Surdos (EMES) também foram contemplados com a possibilidade de prestigiar, gratuitamente, grandes peças, com a ajuda de um intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras). Uma das turmas conferiu o espetáculo ‘A Menina e a Árvore’, que contou a história de uma cidadezinha do interior que decide ir além dos limites da fazenda.
- A FITA é um evento maravilhoso que proporciona acesso à cultura. O espetáculo ‘A menina e a árvore‘ foi especialmente tocante, pois eu estava com meus alunos surdos. A peça foi quase toda em mímica, o que facilitou a compreensão. Simplesmente emocionante! – relatou o professor Jeovane Santos Moraes, que confessa ser um apaixonado pela FITA.
Outra novidade da 13ª edição da FITA foi a abertura de espaço para o novo, com a Mostra paralela, que contemplou oito montagens amadoras, com produtores e atores angrenses com o intuito de fomentar e valorizar e incentivar a cultura local. Totalmente gratuitas, as sessões movimentaram os espaços culturais da cidade.