PCA reúne moradores das Sapinhatubas

Representantes dos bairros conheceram o diagnóstico ambiental da região e apontaram prioridades

Quinta-Feira, 30/08/2018 | Superintendência de Comunicação .

Nesta semana, os moradores das três Sapinhatubas tiveram um importante compromisso visando o bem comum dos bairros: um encontro com a equipe do Programa Comunidades de Angra (PCA), onde puderam conhecer o diagnóstico ambiental que irá nortear as ações da área de proteção paisagística das Sapinhatubas, Camorim Pequeno, Camorim e Ponta da Cidade. A apresentação foi feita pelo secretário executivo de Meio Ambiente e sua equipe. Nos encontros, o público pode tirar dúvidas e indicar ações de melhorias para os bairros.
As reuniões, que contaram com a participação de representantes da Secretaria Executiva de Serviço Público, aconteceram na segunda (27), na igreja católica da Sapinhatuba I; na terça (28), no Centro de Inteligência e Cidadania, na Sapinhatuba II; e na quarta (29), na Escola Municipal Zita de Oliveira Soares, na Sapinhatuba III.
Segundo a assessora do PCA, a apresentação do mapa da área de proteção paisagística mostrou as zonas de interesse urbano, de interesse à proteção ambiental e de interesse ao desenvolvimento turístico, ditando as normas de preservação das unidades de conservação da cidade.
- Essa é mais uma fase do programa. Agora vamos começar as obras de infraestrutura apontadas pelos moradores dos bairros - explicou a assessora do PCA.
O Programa Comunidades de Angra, ligado à Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, foi criado entre 2001 e 2008 pela Prefeitura de Angra, sob a gestão de Fernando Jordão, e retomado em abril deste ano com a missão de transformar os bairros em parceria com os próprios moradores. Além das três Sapinhatubas, o PCA está presente nos Morros do Abel, Carioca, Santo Antônio, Caixa D’Água, Carmo, Fortaleza e Tatu.