Prefeitura apresenta projetos para diretora da Shell

Associação deseja criar uma Escola de Maricultores na Ilha Grande

Sexta-Feira, 20/04/2018 | Superintendência de Comunicação .

A vinda do presidente da Shell, André Araújo, a Angra dos Reis, há algumas semanas rendeu bons frutos. Na quinta-feira (19), Pâmella De-Cnop, diretora de Responsabilidade Social da empresa, esteve na cidade para apresentar ao secretário de Governo e Relações Institucionais e ao secretário de Desenvolvimento Econômico e sua equipe, o perfil de investimentos da Shell e verificar alguns projetos angrenses que possam vir a se encaixar na linha seguida pela empresa.

Após uma reunião no Salão Nobre da Prefeitura, as equipes do Governo Municipal e da Shell foram realizar uma visita técnica nas fazendas marinhas, localizadas na Praia do Bananal, na Ilha Grande. Como muitos devem saber a palavra Shell significa concha em inglês e o símbolo da empresa é uma concha de vieira, molusco que Angra produz em larga escala na Ilha Grande, ostentando inclusive o título de maior produtor do Brasil. Próximo às fazendas marinhas ficam os tanques de criação do peixe Bijupirá, que também, de certa forma tem ligação com a Shell. O nome do primeiro poço de petróleo explorado pela empresa no Brasil levava o nome de Bijupirá.

Foi apresentado à equipe técnica da Shell o projeto das fazendas marinhas de Angra. Atualmente são 14 espalhadas pela baía da Ilha Grande, que juntas produzem cerca de 50 mil dúzias de vieiras por ano. Com a grande quantidade do molusco nos mares de Angra, a ideia da Associação dos

Maricultores da Baía da Ilha Grande (Ambig), presidida por Carlos Kazuo, é formar novos maricultores. Para que isso se torne realidade a Associação deseja construir no local onde ficava a antiga fábrica de sardinha, na Praia do Matariz, uma Escola de Maricultores, onde pescadores que hoje vivem da pesca predatória teriam a oportunidade de aprender uma nova profissão.

Outro projeto da Associação de Maricultores apresentado à equipe da Shell é a da construção de um Centro de Referência. Esse espaço seria dinâmico e alternativo e reuniria ações ligadas à cultura, educação e tecnologia, com o objetivo de manter viva a história do local e a memória de seus moradores.

- O relacionamento com a Shell teve início com debates sobre obras no BrasFels. Aos poucos foi evoluindo para parcerias de caráter social. Agora estamos prontos para statar algumas ações – destacou o secretário de Desenvolvimento Econômico.

Prêmio Shell de Educação Científica

Outro assunto discutido durante a reunião diz respeito ao Prêmio Shell de Educação Científica. A equipe da Prefeitura buscou informações sobre esse projeto para repassar aos professores da rede municipal de ensino, que nunca ocorreu nenhuma inscrição de Angra dos Reis.

Criado em 2014, o projeto busca incentivar e valorizar professores das áreas de ciências e matemática premiando projetos de educação inovadores que, por meio de metodologias diferenciadas, imprimam novas formas de ensinar e de aprender. Podem participar professores das redes públicas – federal, estadual e municipal, do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Os professores premiados ganharão uma viagem educativa para Londres, na Inglaterra, onde farão uma imersão na área das ciências, além de receber premiações em dinheiro que variam de R$ 1.500 a R$ 7.000. As escolas dos professores vencedores também são premiadas com equipamentos educacionais.