Comunidades de Angra começa a gerar frutos

Muitas benfeitorias, reivindicadas pelos moradores das comunidades, já saíram do papel

Sexta-Feira, 13/04/2018 | Superintendência de Comunicação .

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Governo e Relações Institucionais (Secretaria Executiva de Planejamento e Gestão Estratégica), entregou há uma semana os planos de ações do programa Comunidades de Angra a representantes de 10 bairros do município e os resultados já começaram a surgir.
A comunidade do Morro do Santo Antônio está sendo contemplada com uma reivindicação antiga: a construção de um muro de contenção, acima do posto de saúde, próximo à casa do Tainha. A obra, que está sendo feita pelos trabalhadores da Regional do Centro, com recursos da Prefeitura, tem previsão de ser concluída em 30 dias. Este muro vai evitar que casas próximas e a própria escadaria de acesso à comunidade sejam atingidas em caso de deslizamento.
Outro projeto que está de vento em popa é a horta da Escola Municipal Adelaide Figueira, localizada no Monte Castelo. Os alunos aprovaram a ideia e estão empenhados nos cuidados com as hortaliças. De tamanha proporção, a horta já ultrapassou os muros que limitam a unidade de educação.
Muitas outras reivindicações dos moradores já começaram a sair do papel, como a construção de muro de contenção na Caixa D’Água; roçada e limpeza das valas nos morros do Santo Antônio 1, Abel, Carioca e Caixa D’Água; operação tapa buraco no Santo Antônio 1; reparo da canaleta próxima à casa do Ademir, na Caixa D’Água; poda de árvore no Morro do Abel; iluminação da Sapinhatuba 1; manutenção da estrada de chão da torre na Sapinhatuba 3; manutenção do muro e construção da galeria pluvial na Rua Bela Vista, na Sapinhatuba 3; limpeza da caixa d’água da Escola Municipal Adelaide Figueira, no Monte Castelo e poda de árvore no Abel. Além disso, em breve serão iniciadas aulas de flauta doce na Sapinhatuba 1.
- O Comunidades de Angra olha com o olhar do outro, vendo as dificuldades, expectativas e anseios para que se logre melhorias na qualidade de vida da população. É importante ressaltar que o programa é um processo de transformação territorial e humana, de valorização das comunidades, em especial, das pessoas, e está apenas na fase inicial – explicou o secretário executivo de Planejamento e Gestão Estratégica.
O Programa Comunidades de Angra é uma iniciativa da Prefeitura que pretende ampliar o espaço de participação comunitária em direção ao desenvolvimento sustentável do município, através da integração das secretarias.
Iniciado entre 2001 e 2008, o programa promove fóruns abertos com a participação de moradores e membros do programa, que pensam juntos no futuro das comunidades, priorizando as ações.
- Eu fico feliz de estar retomando este projeto que melhora o bairro para cada morador. Nosso objetivo é dar celeridade ao programa e tirar do papel as ações que as comunidades tanto precisam e merecem – destacou o prefeito.
Nesta primeira fase, estão sendo contempladas as comunidades dos Morros do Abel, Carioca, Santo Antônio, Caixa D’Água, Carmo, Fortaleza, Tatu, além da Sapinhatuba 1, Monte Castelo e Sapinhatuba 3.