O esporte como inclusão social

Maioria das provas dos Jogos Especiais irá acontecer no Estádio Municipal. A previsão é de que mais de 170 atletas participem das competições

Segunda-Feira, 16/10/2017 | Superintendência de Comunicação

E nesta quinta-feira, 19, pela manhã, a Prefeitura de Angra, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Promoção da Cidadania, e Secretaria Executiva de Esportes e Lazer, promove os Jogos Especiais, que vão acontecer no Estádio Municipal.
A competição vai reunir todas as escolas especiais e de alunos incluídos, das redes municipal e particular, e associais afins de Angra dos Reis. O evento terá a disputa das modalidades de atletismo, chute a gol, ziguezague livre, arremesso à cesta, natação e futsal de surdos.
Segundo a professora de educação física, Andréa Portugal, responsável pelo trabalho de esportes adaptados, a previsão é de que um pouco mais de 170 atletas participem das competições. As provas serão realizadas no Estádio Municipal, com exceções da natação, que vai acontecer na parte da tarde na piscina da UTD-TEA (Unidade de Trabalho Diferenciado - Transtornos do Espectro Autista), no Parque das Palmeiras, e do futsal de surdos, que vai ocorrer na escola Júlio César Larangeiras, também no mesmo bairro.
Andréa Portugal disse da importância para as pessoas com necessidades especiais e seus pais e responsáveis, eventos como os Jogos Especiais, que fazem uma grande integração em torno do esporte e é mais um momento em que os atletas reafirmam para a sociedade, de que são capazes.
“Os Jogos Especiais mostram a capacidade e a potencialidade das pessoas com deficiências. Seus familiares ficam muito orgulhosos, por presenciarem seus filhos, irmãos, sobrinhos, participando de uma competição, como qualquer outra pessoa, como uma pessoa dita normal. E o esporte é uma importante ferramenta de inclusão social. Muitas das vezes a pessoa por falta de informação, acredita que eles não têm capacidade para a prática de esportes, que são adaptados para eles. O preconceito é cotidianamente vencido, pela superação das pessoas com necessidades especiais”, disse Andréa.