| Painel | Sair
Login
Cadastre-se aqui!

Ecopontos em Angra

Cais do Carmo

Ecoponto do Cais do Carmo

O Ecoponto Cais do Carmo é um local de entrega voluntária de diversos resíduos gratuitamente e além de receber os recicláveis em geral tem como função o recebimento dos resíduos gerados em construções, demolições e pequenas reformas em prédios ou residências e volumosos (mobílias, sucatas e madeiras), que são jogados de maneira ilegal em via públicas, gerando sérios problemas ambientais para a cidade e para a população. Para coibir essas atividades, a Prefeitura criou uma área para deposição regular desses resíduos para pequenos geradores.

O que pode ser entregue no Cais do Carmo:

  • RECICLÁVEIS - plástico, papel, metais, vidros, etc;
  • ENTULHO - resíduos de construção e demolição como tijolos e telhas. Até dois metros cúbicos (carga de uma caminhonete pequena);
  • MADEIRA - até dois metros cúbicos ou 100 quilos;
  • ÓLEO VEGETAL - óleo de fritura usado;
  • VOLUMOSOS - armários, sofás, geladeiras, fogões, etc;
  • PILHAS E BATERIAS;
  • LIXO COMUM - Somente para ilheus, barqueiros e estabelecimentos comerciais cadastrados;

Localiza-se na Alameda dos pescadores s/n, Cais do Carmo. Funciona de segunda a sexta de 7 as 19h, e aos sábados de 7 as 15h30min.

Balneário

Ecoponto do Balneário

O Ecoponto Balneário é um instrumento público, que tem seu foco principal no recebimento e armazenamento temporário de resíduos pneumáticos e eletroeletrônicos. Os proprietários de borracharias, oficinas, os munícipes e demais voluntários entregam os pneus inservíveis neste posto e a Associação Reciclanip recolhe os pneus e os encaminha para um empresa recicladora que garante a destinação ambientalmente adequada dos mesmos, assim como os resíduos eletroeletrônicos que são recolhidos periodicamente por uma empresa recicladora.

O que pode ser entregue no Balneário:

  • RECICLÁVEIS - plástico, papel, metais, vidros, etc;
  • ÓLEO VEGETAL - óleo de fritura usado;
  • PNEUMÁTICOS - pneus de carros, caminhões, motos e bicicletas;
  • ELETROELETRÔNICOS - televisores, computadores, aparelhos de som, DVD, etc;
  • PILHAS E BATERIAS

Localiza-se na Rua Coronel Otávio Brasil, nº 253, Balneário. Funciona de 8h30min as 17h, de segunda a sexta.

Óleo lubrificante

Ecoponto de óleo lubrificante

Por lei, todo o óleo lubrificante usado ou contaminado deve, obrigatoriamente ser recolhido e ter destinação adequada de forma a não afetar negativamente o ambiente. O Ecoponto Óleo Lubrificante foi criado com o objetivo de receber e armazenar temporariamente o óleo lubrificante (OLUC) queimado proveniente principalmente das embarcações de Angra dos Reis, o óleo deve ser despejado no recipiente pelos próprios usuários. A empresa Lwart realiza a coleta temporariamente desse óleo garantindo a destinação ambientalmente adequada, este óleo passa por um processo de re-refino e retorna a cadeia produtiva economizando assim matéria-prima.

Localiza-se no Cais da Manivela,s/n - Centro. Funciona de segunda a sexta de 7 as 19h, e aos sábados de 7 as 15h30min.

Ecoponto Itinerante

Ecoponto Itinerante

O Ecoponto itinerante foi criado com o objetivo de atender diversas comunidades e mobilizar a população para a separação e entrega voluntária dos resíduos recicláveis, óleo vegetal, eletrônicos e pilhas e baterias. Seguindo um cronograma pré estabelecido ele atende atualmente 8 bairros do município de segunda a quinta.

Dias e horários do Ecoponto itinerante:

  Segunda Terça Quarta Quinta
Manhã
9 às 11:30h
Pç Orlandino Celestino da Silva
(Camorim Grande)
Condomínio Cidadão
(Japuíba)
Av. Antônio Bertholdo Jordão (Monsuaba) Rua São Sebastião
(Frade)
Tarde
14 às 16:30h
Pç Chefe Cotta
(São Bento)
Condomínio Cidadão
(Areal)
Av. Conde Maurício de Nassau (Jacuecanga) Est.Vereador Benedito Adelino (Encruzo da Enseada)

Repartições Públicas Municipais

Ecoponto em repartições públicas

Desde 25 de outubro de 2006, o Decreto Federal nº 5.940/06 institui a separação dos resíduos recicláveis descartados pelos órgãos e entidades da administração pública direta e indireta.

O Projeto Coleta Seletiva nas Repartições Públicas tem o intuito de conscientizar os funcionários da prefeitura quanto a importância da classificação e separação dos resíduos, e encaminhá-los a destinação ambientalmente adequada. Atualmente cerca de 90% das repartições públicas municipais dispõe de equipamentos e coleta regular dos recicláveis gerados no ambiente de trabalho.

Informe-se

A importância do correto gerenciamento de resíduos sólidos é hoje uns dos temas mais discutidos nos diversos segmentos sociais. É inquestionável os reflexos que a gestão inadequada dos mesmos traz para a saúde pública e para o meio ambiente. Para um programa de coleta seletiva consistente, mais do que a implantação de instrumentos de coleta, é necessária a adesão da população e a responsabilidade compartilhada por todos no ordenamento dos resíduos. Importa também buscar soluções criativas e eficientes na resolução de diferentes conflitos.

Mas você sabe o que são Resíduos Sólidos?

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (ou PNRS, Lei 12.305 de 02 de agosto de 2010) define resíduo sólido como sendo todo e qualquer “material, substância, objeto ou bem descartado resultante de atividades humanas em sociedade, a cuja destinação final se procede, se propõe proceder ou se está obrigado a proceder, nos estados sólido ou semissólido, bem como gases contidos em recipientes e líquidos cujas particularidades tornem inviável o seu lançamento na rede pública de esgotos ou em corpos d’água, ou exijam para isso soluções técnica ou economicamente inviáveis em face da melhor tecnologia disponível”.

A PNRS constitui um importante marco legal na questão do gerenciamento dos resíduos sólidos e levou cerca de 20 anos de inúmeros debates no Congresso Nacional até ser aprovada, representando por fim, um amplo consenso que envolve todos os atores que fazem parte dos mais diversos ciclos da produção de resíduos sólidos no Brasil. Ela não apenas definiu um conjunto de normas a serem seguidas como também aborda conceitos como responsabilidade e solidariedade no enfrentamento de um dos maiores e mais atuais desafios da humanidade, que é o manejo e a  destinação ambientalmente adequada dos resíduos sólidos. Dois de seus principais focos são: o de gerar emprego e renda através da inclusão social de catadores de materiais recicláveis e reutilizáveis, assim como o de minimizar os impactos causados pela disposição inadequada de resíduos no meio ambiente.

Resíduo = Lixo?

Com o surgimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos e o desenvolvimento de uma nova consciência ambiental, o termo comumente utilizado para designar materiais inservíveis - Lixo - ganhou outra interpretação. Hoje, sabe-se que parte do material que constitui o “lixo” possui um grande valor econômico para muitas pessoas, podendo ser reutilizado, comercializado,  incinerado, visando seu aproveitamento energético, ou ainda transformado em algo totalmente novo, através do processo de reciclagem. Da mesma forma, muitas empresas passaram a reaproveitar materiais que outrora seriam descartados, reintroduzindo-os no processo de fabricação de novos produtos. Isso não só favorece o meio ambiente, como minimiza os custos com a aquisição de matéria-prima.

Sendo assim, a PNRS vem diferenciar dois termos: Resíduo e Rejeito. Os resíduos, como explicado anteriormente, são “restos” provenientes da atividade humana, que podem ou não ser aproveitados. Já os rejeitos são os “restos” que, “depois de esgotadas todas as possibilidades de tratamento e recuperação por processos tecnológicos disponíveis e economicamente viáveis, não apresentem outra possibilidade que não a disposição final ambientalmente adequada” (geralmente em aterros sanitários).

Atenção com produtos perigosos!

Latas contaminadas com resíduos químicos (tinta, verniz, inseticida), pilhas, baterias, pneus, lâmpadas fluorescentes, frascos de remédio, embalagens de agrotóxicos e pesticidas e óleo lubrificantes são chamados RESÍDUOS PERIGOSOS e não devem ser descartados junto com o lixo comum. Procure a orientação da gestão municipal sobre o procedimento adequado!

O que é reciclável?

Papel

Papel:
Jornais, revistas, cadernos, folhas, listas telefônicas, caixa de papelão, embalagens Tetra Pak.

Plástico

Plástico:
Garrafas de água e refrigerantes, sacolas plásticas, embalagens de produtos de higiene e limpeza, brinquedos e utensílios de plástico.

Metal

Metal:
Latas de bebidas, de alimentos, panelas (sem cabos), talheres, bacias, objetos de cobre, zinco, bronze e ferro.

Vidro

Vidro:
Garrafas, potes e frascos de alimentos e produtos de higiene e limpeza

Óleo de cozinha:
O óleo de cozinha também pode ser reciclado e não deve ser descartado no ralo da pia, pois ele contamina o meio ambiente.

Eletreletrônicos:
Aparelhos como televisores, micro-ondas, aparelhos de som, computadores, DVDs, celulares e outros eletrodomésticos podem ser entregues nos Postos de Entrega Voluntária (ECOPONTOS) Municipais.

Você sabe quanto tempo leva para cada material se decompor na natureza?

  • Lata de Alumínio - até 1.000 anos
  • Vidro - 10.000 anos
  • Pilhas - 100 a 500 anos
  • Borracha - indeterminado
  • Pano - 6 meses a 1 ano
  • Restos Orgânicos - 2 a 12 meses
  • Papel - 3 meses
  • Filtros de Cigarros - 5 anos
  • Madeira - 6 meses
  • Madeira Pintada - 13 anos
  • Lata de Aço - 10 anos
  • Plástico - 100 anos
  • Embalagens Longa Vida - mais de 100 anos
  • Nylon - 30 a 40 anos
  • Fralda Descartável - 600 anos